quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Um Novo Conceito

Sou drástica. Bani de uma vez por todas aqueles e aquilo que tinham como única contribuição para minha vida não me fazer crescer de nenhuma forma. E, definitivamente não preciso de pessoas mais monótonas que minhas manhãs perdidas em filas de banco e de coisas mais supérfluas que os silicones de minha tia. Quero aventura. Cultura. Gente saudável, inteligente e interessante. Foram muitos dias nessa tortura.
A verdade é que me enchi...
(...) não sou lixo. Tampouco quero a doçura dos culpados, artificial como transparente.
Passei da época em que aceitava tudo para ter alguém só para me fazer companhia num lanche. Aceitava até mesmo o vazio. Mas esse vazio me deixava como um balão de gás... e tão, se não mais vazia que o próprio vazio... com vontade de diálogos produtivos. E isso não me basta mais, não me é suficiente!!! Demorou. Apanhei, mas aprendi.
Vou atrás de outro jeito de viver a minha vida, já que em qualquer outra situação diferente estarei lucrando.Tenho sede de gente interessante e simples. Mas, ok, eu não vou dizer que eu sou a melhor pessoa do mundo, a mais interessante e a rainha da simplicidade... Não!! Sou cheia de manias. (...) Sou teimosa. Raivosa, quando me sinto atacada. Só ando no banco da frente dos carros. Mas não imponho a ninguém. Não imploro afeto... (...) Chateio só aqueles que não me acham uma chata, por isso me querem ao seu lado. No entanto, eu tenho lá um quê de ‘a melhor do mundo’ em deixar as pessoas a vontade (mas só quando quero também), por que eu gosto e sou dúbia na maioria das vezes. É uma questão de vontade pessoal. Então, se sou chata, não incomodo ninguém que não queira ser incomodado. 
O que poucos sabem é que isso é um escudo para evitar dores para quem realmente me conhece. É um favor, na verdade, pois não quero assustar as pessoas com meu passado.Tal radicalismo, agora, é meu gesto mais maduro, mais sincero e mais bonito para comigo mesma. Abri mão, deixei para trás, abandonei histórias de longas datas por um amor maior a mim e por que cansei de taaaanta história inventada e desnecessária. E que isso não soe como egoísmo, pois é apenas um cuidado DE MIM para MIM.
Por fim, estou tranquila e calma. O problema é que quero muitas coisas simples e pareço exigente.

*Textos em negrito: Fernanda Young.

Nenhum comentário:

Postar um comentário